Afinal, o que é Zakka?

zakka2

Um frasco antigo de vidro, que outrora acomodara um charmoso vinagre italiano, vira um vaso para uma florzinha seca, tingida e solitária.

Uma cesta de palha, forrada com um tecido de algodão xadrez, abarca novelinhos de lã coloridos e fofinhos.

Um alfineteiro de linho com bordados simples e ingênuos acompanha um conjunto de acessórios de costura vintage: tesourinha para cortar linha (um pontinho de ferrugem é bem vindo), dedais, carretéis de madeira… um ferro a carvão, então, é a glória e deve ter lugar de destaque na estante…

Todos esses “eventos” tem algo de Zakka. Zakka é mais difícil de explicar do que de reconhecer ou sentir e se você de alguma forma acompanha o universo kawaii e o estilo de vida propagandeado pelas revistas japonesas, sabe bem do que estou falando.

zakka1

Mas começando do começo: Zakka costuma ser traduzido por aí como “muitas coisas”, que, convenhamos, não quer dizer nada. Consultando uma fonte segura, meu pai -que me salva nessas enrascadas lingüísticas japonesas-  Zakka, pode ser entendido como “artigos em geral” ou, melhor ainda, “miudezas”. O termo também pode ser aplicado a alimentos.

O universo Zakka vê nas pequenas coisas e detalhes do dia-a-dia algo esteticamente nobre e elevou muitos objetos aparentemente banais e sem valor ao patamar de objeto de desejo. Se sua avó tem tendências acumuladoras e tem um quartinho cheio de bugigangas antigas e legais, atenção, pode ter muito din-din mofando por ali e você nem desconfia. Já li que tem gente pagando caro pelo lixo da vovó. Quem leu O Kitsch, do Abraham Moles, pode ver muitas semelhanças, né não!?

zakka3

Zakka é de certa forma, fashion, pois virou um estilo de vida bem definido. Algumas características comuns, até onde eu consigo detectar: a luz, tudo é geralmente muito claro, iluminado, meio impressionista, é comum as janelas das casas Zakka estarem com a luz “estourada” nas fotos; a ênfase nos pequenos objetos garimpados com olho clínico, de preferência artigos vintage europeus, já percebi que há uma predileção especial pelo vintage nórdico (mas também tem latinha de bala brasileira que achei numa revista aqui de casa!); o reaproveitamento de objetos (embalagens viram vasos, acomodam objetos miúdos e toda sorte de quinquilharias); as cores predominantes são os pastéis e os tons de terra; muita madeira clara, muita palha, os tecidos são majoritariamente de algodão, tudo  natural, é difícil encontrar algum móvel ou objeto que remeta à idéia de industrial; o desprezo pela ostentação (não há nada imponente, nada dourado, cadeiras de encosto alto, tecidos exuberantes e brilhantes); há um desleixo calculado, um ar de usado e gasto, um arranhão na parede aqui, uma quina de mesa lascada ali, uma cômoda pedindo pintura, uma toalha de mesa amassadinha, tudo para garantir aquele visual naïve, demodê-chic e dar um aspecto de casa confortável, onde as pessoas realmente habitam.

zakka

Enfim, acho que dá pra listar muitas coisas! Só sei que amo muito tudo isso!

Fotos extraídas de: 布の雑貨がつくる小さな幸せ (I love Zakka Home)

5 comentários sobre “Afinal, o que é Zakka?

  1. E não é que sem saber de nada já havia começado a decorrar minha casa em estilo Zakka. =)

    Que legal me descobrir cult, acho que ter crescido em cidade pequena ajuda um monte pra ter um gosto estético mais delicado.

    Como você cita lá em cima a tesouros na casa da vovó, e foi com a minha que aprendi um monte de trabalhos manuais que hoje refinam a decorração de minha casinha.

  2. Luane, hoje as vovós arrasam! A minha sabe fazer vários trabalhos manuais tb e ela reutiliza embalagens e recicla coisas há muito tempo, mais por necessidade e não por moda, mas agora parece que fazer isso é cool, né! As coisas estão mudando mesmo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>